8 de junho de 2009

Memórias

As memórias do livro - Geraldine Brooks, Ediouro, 2008, 384 págs.

Na Bósnia arrasada por anos de guerra civil, um raro manuscrito judeu medieval reaparece. É a lendária Hagadá de Saravejo, um volume único, que contrariava as restrições judaicas da época em relação às ilustrações. Um livro com uma história cercada de enigmas. Como esse manuscrito foi feito, apesar das restrições rabínicas? E como sobreviveu a séculos de anti-semitismo na Europa? Para desvendar esses mistérios, Geraldine Brooks apresenta aos leitores Hanna Heath, a restauradora australiana para analisar e recuperar o manuscrito.

Geraldine Brooks escreveu esse livro baseado em alguns fatos e personagens reais, porém acrescentou uma rica ficção que nos transporta pela história, pelos conflitos religiosos que se arrastam por séculos.

A escritora deixa bem claro no pósfacio o que é realidade e o que é ficção, porém a leitura é de muito empolgante. A restauradora Hanna descobre a cada página uma suposta pista da trajetória do manuscrito.
Cada pista rende a verdadeira história daquilo encontrado.... que está longe do que ela supôs.
Cada nova história é de uma riqueza de detalhes históricos, bem pesquisados pela escritora, que nos transporta para o cenário que ela descreve.
Guerras, escravidão, preconceitos raciais e religiosos, vingança, ódio, morte, doença, mas também esperança, amor e gratidão.

Tenho lido bons livros, cada qual tem um valor diferente.
Esse tem uma leitura inicial que não contagia - foi assim comigo, porém recomendo a quem realmente goste de uma boa história, quem consiga se envolver com cada uma das personagens que surgem a cada nova pista encontrada no manuscrito.

Amor, muito amor em nossas vidas!

P.S.: A borboleta em alto relevo no alto e a direita, na capa, não influenciou em nada no meu interesse pelo livro... rs

Um comentário:

Antonia Albuquerque disse...

Olá amiga bom dia, vc como sempre passando dicas maravilhosas sobre uma boa literatura.

Estou com alguns livros para ler e ainda está me faltando coragem rsrsrs, mas em breve recomeço pra valer.

Trabalho e o tempo se torna curto para tantas atividades quando chego a casa.

Bjokas