2 de setembro de 2009

O quadro


Tenho uma facilidade de lembrar sempre do último sonho ao acordar.
(Os demais vêm em flash ao longo do dia).
Não faço esforço em lembrá-los logo cedo, pois gosto da sensação que o último deixa pelos minutos seguintes focados em levantar, escovar os dentes e tomar banho.

Recentemente tive várias palestras e essa semana um treinamento (todos na empresa) sendo o último sobre organização.
(O RH atualizou nosso mural falando das palestras e colocando fotos.)
Acredito que meu sonho tenha sido um misto disso tudo.

Na verdade teria sido uma aula/ palestra em que montávamos um quadro, desses tipo quadro de avisos, mas de material rústico, como se fosse feito de reciclados.

Nele podíamos inserir várias imagens, paisagens, figuras... lembro que as minhas tinham uma moldura de madeira parecendo casca de galhos.

No espaço deixado no canto inferior direito, foi nos pedido para utilizar uma folha e nela escrever algo bem pessoal para fazer parte desse quadro/mural.

Procurei uma folha meio escura, feita de papel reciclado (tenho um bloquinho assim na minha gaveta) e nela escrevi frases, quase um poema falando sobre sentimentos, recheados de boas vibrações, terminando com uma mensagem de paz.
Ao acordar lembrei de cada frase, porém perdi (mais uma vez) a oportunidade de escrevê-las para não se perderem ao longo do dia.

Não estou preocupada com Freud, Jung ou com análise psicológica dos meus sonhos, gosto desse misto que tem um pouco de cada coisa dos meus dias, onde tenho boas sensações: estar perto de pessoas e de situações que me foram agradáveis.

E a melhor delas foi ter por perto o mestre que nos pedia para montar o trabalho, trago-o no coração!

Beijos a todos e ótima semana!

Vou tentar lembrar de anotar os sonhos... a essa hora já nem lembro mais as palavras... snif

2 comentários:

Licsk disse...

Ei sumida...obrigado pela visita e pela dica...já deixei um recadinho no blog da Cau, para que eu possa dar os devidos créditos...
Bjuuuuuuuuuuuu

€aµ disse...

Oi, Mello...
Fiquei muito honrada quando li no blog da Licsk a dica que você deu. Parece bobagem, mas para quem escreve, e percebe que ao menos é lembrado depois da sua escrita, é uma grande alegria... é como ter o reconhecimento de um filho, mesmo que de nós só leve o "sobrenome"... risoss
Obrigada
Beijos...

P.S.: Muito legal seu blog, estarei por aqui mais vezes!