25 de março de 2009

Tempo e espera


Administrar o tempo não é tarefa das mais fáceis.
Certo dia perguntei a um economista se pelo menos para ele isso era uma tarefa simples, mas percebi que estava aí uma pessoa errada para me responder.
Sorte minha não ter sido xingada.

Eu, pessoalmente procuro não me atrasar, saio sempre muito antes do horário prevendo várias situações que podem me reter, as principais: condução e trânsito.
Não dirijo e dependo desses profissionais maravilhosos que são os motoristas de ônibus!
Já que verificar no site os horários e possibilidades de linhas que possam ser utilizadas é perda de tempo. (Provavelmente quem já fez isso, sabe o que eu digo...)

Eu me programo, prefiro esperar que chegar atrasada.
Levo livro, mp3, compro revista e espero pacientemente...

ESPERA...
Bem, por isso, pelo meu jeito preocupado em chegar cedo, tenho milhagens nessa área.
Não me incomodo com isso, mas já percebi que tem pessoas que não conseguem jamais chegar no horário, quem dirá adiantado, nem vou entrar no mérito de comentar atrasos...

Eu aprendi a utilizar esse tempo precioso da espera para tirar proveito de muitas situações:
Leio mais, vejo TV (consultórios sempre tem uma com aqueles programas femininos... Onde guardam o controle remoto?), escuto música e quando possível aproveito para observar detalhes à minha volta.
Já até tentei meditar e passei vergonha, porque me perguntaram se eu estava dormindo...

Recentemente sentei no banco da praia e esperei... esperei e esperei.
Nesta espera eu aproveitei para olhar e admirar: os corredores noturnos, os atletas que se exibem nos aparelhos na areia da praia, o passeio com o cachorro, o prazer de beber água de côco, o menino que ainda com o uniforme do colégio - mesmo sob as broncas da mãe, parecia um empanado pronto para ir para a frigideira, gente bonita - outras nem tanto, pessoas suadas, pedintes, idosos, navios...
O tempo voou e sem nem reclamar fui embora, já que minha espera foi em vão: mais uma para a coleção das esperas sem solução (isso dá outro texto!).

Minhas sugestões para quem detesta esperar:
- Diga a pessoa que você é pontual e portanto não gosta de esperar mais que 10 minutos;
- Informe-se se nesse consultório existem atrasos ou demora, depois deixe a reclamação por escrito se a atendente lhe enganou;
- Verifique no relógio (ou no celular, se como eu, você não usa relógio) a hora exata que você chega ao local, a sensação de espera é sempre superior ao tempo real;
- Aprenda a utilizar esse tempo de espera em favor próprio, não se deixe irritar, nem se contaminar com a irritação de outras pessoas;
- Nunca desconte na secretária, caixa ou atendente seu mau humor, imagine quanto ela sofre com um profissional que constantemente a faz de bode expiatório;
- Não gaste sua energia à toa, não faça disso o ponto de ebulição de seu dia, já bastam os fatores sobre os quais você não tem controle algum;
- Desculpe-se sempre que você ficar preso no trânsito e fizer alguém esperar, compense com um belo gesto de amizade e não deixe que isso estrague o seu intuito.

Dificil?
Não é.
Tente e pense em coisas óbvias como o tempo que levou para se desenvolver e virar um ser humano... (Estou falando dos meses de espera de sua mãe) e se preciso comece hoje a pensar nisso e nos próximos 7 ou 9 meses torne-se uma pessoa menos estressada e mais paciente.

Ah! Para aqueles que depois de ler esse texto quiserem testar a minha paciência na espera, apenas peço que sejam sinceros quanto a isso.
Pois por mais que eu consiga levar isso de forma leve, existe sempre um limite...
Eu mesma não gosto da minha cara de indignada, não gostaria que você a conhecesse...

Abraço carinhoso em você!

2 comentários:

Biah disse...

Ai, antes fosse um simples choco!!!! Ia ser beeeem mais facil!!!!!

Fiz uma encomenda de post it viu?!?!? rsrsrs

beijokas

mell® disse...

BH

Estou esperando Post Its novinhos, coloridos e bem bonitinhos.. Oba!!!!!

Cuida-te!

E obrigada pela visita!

beijo