28 de maio de 2009

Verdes pastagens

Travavam um diálogo cheio de desentendimentos verbais.
Em dado momento uma das partes começou a relatar seu momento pesado e cheio de complicações.
A outra parte analisando a gravidade de tal situação, reflete que o momento exige algo a ser dito, eis o diálogo:

- Posso lhe dizer algo?
- Pode.
- Queria lhe dizer que foi um imenso prazer lhe conhecer, você é uma pessoa maravilhosa!
- Porque está me dizendo isso???
- Porque sua história está parecendo caso de máfia, caso alguém resolva lhe apagar, não quero ficar com o arrependimento de não ter-lhe dito isso!
-Fdp! Parece mesmo. Mas me diz quem morre primeiro: eu ou você?
- Provável você...
- Fdp! Por que?
- Porque eu tenho muito o que pastar ainda... não vai ser tão simples assim (...).

(O diálogo continuou, porém o que importa é até esse ponto).

Não sei qual é o departamento responsável pela análise disso, desconfio inclusive que deva ser um bem abarrotado de processos, um sistema antiquado, sem catalogação com fácil acesso.
Mas que deve existir um, isso é quase certo!

Você nasce e passa a vida sem entender porque algumas coisas sempre lhe acontecem, que sua vida é um eterno ciclo de recomeços e apesar de tentar levar tudo com a maior tranquilidade, os tumultos sempre lhe acompanham.
Óbvio que algum sábio-sabido de plantão sempre tenta lhe dar uma explicação razoável que muda de ótica conforme a crença do cidadão:
- Está pagando o pecado dos seus pais - deve ter sido porque eles lhe fizeram em um momento de prazer, vai saber?!
- Deve ser algo que você fez e colhe o retorno - planta-se sementes de tomates e nascem pimentas e a culpa é sua? Cadê o controle de qualidade?
- É a lei do retorno - espera aí, qualquer um sabe que ao jogar a bolinha contra a parede ela retorna, isso é física pura!
E continua...

Mas eu ainda acho que o departamento que verifica qual é o tamanho do seu pasto, continua burocraticamente lotado de serviço e você continua pastando mesmo que sua barriga esteja cheia de forragem...

Só pode ser isso, não tem outra explicação!

Então, enquanto lhe esquecem aqui pastando, aproveite a paisagem, porque o campo ainda está verdinho e o céu azul de dia e a noite estrelada.

Vai ver é a sua compensação, já que muita gente não pasta, mas também não tem essa oportunidade de estar perto da natureza...

Linda sexta a você e um abraço bem apertado!


-

3 comentários:

Walkyria Suleiman disse...

Ai minha filha, haja pasto, haja barriga cheia, e aproveitemos a paisagem, ao menos.

V disse...

Ora estamos num pasto verdejante, sentindo no cair da noite um orvalho refrescante. Ora estamos no meio de um calor sufocante de um deserto que parece não ter fim. Há diferença entre tais cenários? Tudo depende de você. Depende para onde você está indo. Depende dos seus propósitos. Depende da sua visão...

Adoro os seus textos...

Bjs

ઇ‍ઉ mell® ઇ‍ઉ disse...

V

Adoro quando aparece por aqui e deixa sua impressão...

Walkyria

Sua ilustre visita me alegra!
Ainda bem que grama fresca não engorda e faz o intestino funcionar perfeitamente!

Beijos a ambos!